Montalvão



Montalvão é uma pitoresca aldeia do concelho de Nisa, 123,87 km² de área e 450 habitantes (Censos 2011)  situada num local privilegiado de beleza natural, onde o tempo parece ter parado, na típica calmaria do Alentejo, bem próxima da fronteira Espanhola.

As origens de Monatlvão são remotas, existindo diversos e importantes vestígios pré-históricos no território, de que destacamos o Núcleo de Gravuras Rupestres do Cachão de S. Simão. Foi uma importante povoação do Alto Alentejo nos primeiros tempos da monarquia portuguesa. A necessidade de protecção deste sector da fronteira, aliada à pouco efectiva presença populacional, determinou que a localidade se instituísse como sede de um território vital para a sobrevivência da ordem cristã na região. Não admira, por isso, que tenha sido Comenda da Ordem de Cristo, instituição que terá estado na origem do castelo que genericamente chegou até nós. A sua construção tem sido apontada no reinado de D. Dinis, mas o monumento carece ainda de um estudo arqueológico mais vasto que permita extrair conclusões acerca das fases de ocupação por que passou.


Vista sul de Montalvão, do "Livro das Fortalezas", manuscrito
quinhentista da autoria de Duarte d'Armas, incumbido por
D. Manuel I de vistoriar todas as fortificações de fronteira.
A fortaleza baixo-medieval não terá sido uma obra de grande envergadura, na medida em que, nos inícios do século XVI, Duarte d'Armas desenhou-a como tendo apenas uma muralha, sem qualquer torre anexa, fazendo-se o acesso ao espaço intra-muros por porta única. Essa entrada foi reconstruída um século depois, por certamente apresentar grande ruína, adquirindo então a feição classicizante, de lintel recto entre pilastras que suportam uma arquitrave, que ainda hoje ostenta, e que contrasta com o aparelho miúdo e irregular com que a cerca que define o castelo foi executada. Foi vila e sede de Concelho, constituído apenas por uma freguesia, entre 1512 e 1834. Comemora em 2012 os 500 anos da atribuição da Foral de Montalvão, por D. Manuel I.


Vista aérea de Montalvão, com o Castelo em primeiro plano
(data indeterminada, mas da primeirametade do séc. XX)

Montalvão mantém ainda hoje a sua faceta rural, situada num monte entre os rios Tejo e Sever, com difíceis meios de comunicação, cercada por olivais e vegetação florestal e uma paisagem onde predomina o xisto. A proximidade da albufeira da Barragem de Cedillo proporciona bonitas paisagens e condições para as mais variadas actividades de lazer, desportivas e náuticas.

Vista sul (foto de Lurdes Roberto)

O Património de Montalvão conta com as Ruínas do Castelo do século XIII, de onde se avista um bonito panorama, próximos da Igreja Matriz e do Pelourinho Manuelino e do Edifício da Santa Casa da Misericórdia. Montalvão apresenta ainda a bonita Capela do Espírito Santo do século XVI e a Ermida de Nossa Senhora dos Remédios, já fora do centro, um palco de procissões e festas populares muito importante para a aldeia.

Igreja Matriz (foto Lurdes Roberto)


Montalvão é também terra de “Festa Brava”, como se pode ver pela orgulhosa Praça de Touros, e pelas festividades populares da localidade, como as Festas em Honra de Nossa Senhora dos Remédios, realizadas anualmente no início de Setembro.
.
Fontes:
. www.wikipedia.com
. www.cm-nisa.pt
. www.igespar.pt